”A tempera de uma alma é dimensionada na razão direta do teor de poesia que ela encerra” (Horácio Quiroga)

7 de março de 2011

Indivisíveis

Quando teu coração quase calar
Ou ainda quando ele, estumado,
Disparar descontroladamente,
A tua percepção há de sinalizar
Que eu estou tão próximo de ti,
Que podes sentir minha energia
Açulando teus contidos desejos,
Até que tão juntos estejamos
Que tornemo-nos indivisíveis.

2 comentários:

  1. Bom dia poeta, adorável e sensível sua poesia, amei, beijos!

    ResponderExcluir
  2. To amando tudo já! a musica de fundo é muito alegre e bem brasileira..rss, estou me sentindo por aqui uma Metamorfose ambulante...Ual! percepção é para poucos, pra falar né? rss...abç Flor... Passei por aqui.

    ResponderExcluir