”A tempera de uma alma é dimensionada na razão direta do teor de poesia que ela encerra” (Horácio Quiroga)

25 de setembro de 2011

Descuido

Ciúme (de fácil germinar),
Defesas mentais (postas em segundo plano).
Um nada de nuvem cinza e temos, certamente, uma colossal tormenta.

Um comentário:

  1. Olá Luiz, que bom que tem gostado dos meus poemas... São ensaios que faço sem pretensão. E, fiquei boquiaberta com a coincidência: você e Guilherme na mesma turma da faculdade, que bacana! Ficarei de espectadora do seu blog para me inspirar... Bons pensamentos, belas palavras, livre poemas. Bjs Ciça

    ResponderExcluir