”A tempera de uma alma é dimensionada na razão direta do teor de poesia que ela encerra” (Horácio Quiroga)

19 de fevereiro de 2011

Jardim

Há quanto tempo não vejo
Aquele pedaço de muro,
Orgulho de uma vizinha,
Que dele cuidava zelosa,
Com carinho extremado.
.
Ali vicejavam as flores:
Rosas, hortênsias, cravos,
Begônias e sempre-vivas.
Tão coloridas e frescas,
A mitigar uma alma aflita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário