”A tempera de uma alma é dimensionada na razão direta do teor de poesia que ela encerra” (Horácio Quiroga)

10 de novembro de 2011

Quero-te

Quero-te!
Sem angústias: tomada de serenidade.
Quero-te!
Suave: como a brisa, calma, me tocando.
Quero-te!
Sem exageros: na dimensão do ideal.
Quero-te!
Otimista: no renascer dos teus sonhos.
Quero-te!
Caminhando consciente, para nós dois.

Nenhum comentário:

Postar um comentário